Como funciona a preparação do corpo pós-morte?

Como funciona a preparação do corpo pós-morte?

A preparação do corpo pós-morte é um assunto que não é muito discutido. Isso porque, diante do falecimento de alguém próximo, infelizmente, temos que lidar com muitas questões, passando pelas sentimentais até as burocráticas. Sendo assim, não costumamos pensar em como funciona todo esse processo.

Outra questão a ser ressaltada também é que a maioria das pessoas não gostam de falar sobre esse assunto, pois temem assuntos relacionados à morte. Principalmente se a pessoa falecida é algum familiar ou um amigo próximo.

Entretanto, por outro lado, outras pessoas se interessam pelo assunto e não conseguem achar informações completas sobre todo o procedimento de preparação do corpo pós-morte.

Portanto, pesando nisso, no texto de hoje, falaremos sobre essa temática e revelaremos todos os processos de preparação de um corpo para o sepultamento. Confira!

Por que é preciso preparar um corpo após a morte?

A resposta simples para essa questão é devido as questões sanitárias, pois nossa legislação exige que esse trabalho seja feito nas pessoas falecidas.

Isso porque, até o corpo ser sepultado, ele precisa passar por uma série de técnicas que são muito importantes e capazes de garantir que não haverá contaminação. Com isso, os familiares podem velar o corpo do ente querido da forma mais tranquila possível.

Outra questão importante e que também torna esse procedimento importante é que, nas mortes violentas, são esses procedimentos que realizam os primeiros cuidados com a pessoa falecida para que ela possa ser velada com dignidade.

As primeiras técnicas de preparação do corpo pós-morte

A preparação de corpos pós-morte já é utilizada há muito tempo. Os egípcios e os gregos utilizam métodos para manter os corpos dos falecidos com boa aparência há tempos. Eles preparavam os corpos para que os rituais de despedida pudessem ser realizados de forma mais harmoniosa.

A importância da preparação do corpo pós-morte

Um corpo começa a ser preparado logo que o paciente falece, ainda no hospital, assim que o óbito é declarado. Quando alguém morre, as equipes de enfermagem começam a realizar uma série de procedimentos para tentar reduzir de contaminação.

Os procedimentos visam garantir a integridade do leito para outros pacientes, como também, para que o corpo seja enviado para a funerária ou para o IML de forma segura. A funerária, a partir de então, começa a ser a responsável pela preparação do corpo.

Na funerária, o principal responsável pela preparação dos corpos é o tanatopractor. Esse profissional utiliza várias técnicas para tentar deixar o corpo do falecido com a melhor aparência possível para que a família e os amigos possam se despedir da forma mais adequada possível.

Esses profissionais são responsáveis pela higienização dos corpos, impedindo o vazamento de líquidos e gases durante o funeral. No caso de mortes violentas, como acidentes, é necessária a realização do procedimento de reconstrução.

Se não houvesse toda essa preparação seria muito difícil velar o corpo de ente querido. Isso porque haveria grande possibilidade contaminação das pessoas presentes no ritual de despedida. Sem falar na aparência e nos odores desagradáveis do falecido após a morte.

Etapas do corpo no pós-morte

Primeira etapa – Hospital

Assim como já mencionamos, quando uma pessoa morre no hospital e o óbito é declarado, as equipes de enfermagem seguem uma rotina muito criteriosa na preparação do corpo pós-morte, que envolve:

  • o desligamento dos aparelhos;
  • fechar os olhos do falecido, sendo que, às vezes, é necessário usar fita adesiva para mantê-los fechados quando for realizado o enrijecimento cadavérico, que mantém a aparência natural;
  • limpar o corpo superficialmente, em casos onde exista muito sangramento ou muitos fluídos vazados;
  • dependendo do caso, é necessário colocar e reposicionar as próteses dentárias, os orifícios devem ser tampados com algodão seco, o corpo precisa ser higienizado;
  • é necessário também sustentar a mandíbula com fita ou ataduras para que o cadáver fique em posição anatômica antes do procedimento do enrijecimento cadavérico;
  • os pés são unidos e fixados com fita adesiva ou atadura também por causa do enrijecimento cadavérico;
  • depois o corpo é encaminhado a um local adequado e o leito onde ele estava é limpo e higienizado.

Depois de todo esse processo é hora de reunir a família do paciente para entregar o corpo. Se família tiver uma crença religiosa específica, os profissionais que preparam o corpo são avisados para procederem da melhor maneira possível.

 

Segunda etapa – Funerária

Uma das técnicas mais importantes na preparação do corpo pós-morte é tanatopraxia. O procedimento é realizado pela equipe funerária e envolve vários procedimentos que buscam deixar o corpo o mais próximo da aparência da pessoa quando estava viva.

O corpo passa por várias etapas, que envolvem a aplicação de alguns produtos químicos, que substituem as antigas técnicas de embalsamento. Depois de aplicado os produtos, o falecido ficará com uma aparência mais adequada para a despedida da família.

 

Desinfecção do falecido

Logo que o corpo de um falecido chega a funerária, ele deve passar pelo processo de desinfecção, que deve ser realizado independente da causa da morte. Nesse momento, o corpo recebe aplicação de um desinfetante específico.

Depois da secagem do corpo, ele recebe uma massagem em sua musculatura para que elas se soltem. Isso ocorre porque o enrijecimento cadavérico contrai a musculatura do corpo.

Em seguida, os pelos do rosto, do pescoço e da garganta são removidos e são preservados apenas, os cílios, as sobrancelhas e escalpo. Mas, no caso de homens que usaram barba ou bigode durante a vida, os mesmos podem ser mantidos.

 

As cavidades e as artérias

Quando uma pessoa morre é natural que o corpo libere líquidos e odores desagradáveis. Para evitar isso, é aplicada uma injeção com uma solução de formaldeído em uma das artérias do corpo.

O líquido cria uma pressão interna que permite que o sangue da veia jugular ou do coração seja drenado. A remoção dos órgãos internos é outro procedimento muito importante para garantir que o corpo não solte líquidos e nem odores desagradáveis.

Nesse procedimento, o abdome é aberto e cada órgão é drenado e retirado. Enquanto o agente funerário faz o preenchimento das paredes internas da cavidade com um gel ou pó específico, os órgãos ficam mergulhados em uma solução própria.

Finalizado essa parte do processo, os órgãos são colocados cuidadosamente de volta ao corpo dentro de um saco plástico grosso. O corpo então é fechado novamente. Essa é uma das etapas mais importantes para evitar que os gases e fluidos escapem.

Os gases e fluidos podem oferecer risco biológico, podendo comprometer a saúde das pessoas que estirem presentes no velório, caso escapem do corpo.

 

Processo de reconstrução facial

O corpo humano entra em processo de decomposição logo após o seu falecimento. Com isso, o mais macio do rosto começa a afundar rapidamente, principalmente na cavidade ocular.

Outro fator que pode comprometer a aparência do falecido é contração natural dos lábios e das bochechas. Para melhorar a aparência da face, o agente funerário, usa um cone semiesférico em cada olho.

O cone semiesférico é posicionado é colocado atrás das pálpebras e depois é aplicado um creme que tem como objetivo, captar a umidade que fica entre o cone e a pálpebra, fazendo com que a pele fique hidratada.

O gel adesivo é aplicado nos olhos para que eles permaneçam fechados e boca do falecido é suturada bem na base das gengivas para permanecer fechada.

 

A maquiagem dos falecidos

Essa é a parte final da preparação dos corpos pós-morte. Os cabelos dos falecidos são lavados e enxugados, cortados e penteados de forma profissional.

Em seguida, o falecido é vestido com as roupas que a família escolheu e, daí, a necromaquiagem é aplicada. O objetivo desse procedimento é cobrir as marcas ou ferimentos que estejam visíveis no corpo do falecido.

A pele das pessoas falecidas perde coloração rapidamente e, por isso, são aplicadas maquiagens específicas para trazer mais cor e textura a pele, tornando a pessoa mais parecida com ela mesmo quando estava viva.

O falecido só é enviado ao velório depois de concluída toda a preparação do corpo pós-morte. Os procedimentos mencionados são padronizados, porém, eles podem variar de acordo com a causa da morte. Todo o processo pode levar entre 1 e 4 horas para ser concluído.

Gostou do texto? Então não se esqueça de compartilhar esse conteúdo com os seus amigos!

Muito obrigado e até a próxima!