Como funciona a preparação do corpo pós-morte?

Como funciona a preparação do corpo pós-morte?

A preparação do corpo pós-morte é um assunto que não é muito discutido. Isso porque, diante do falecimento de alguém próximo, infelizmente, temos que lidar com muitas questões, passando pelas sentimentais até as burocráticas. Sendo assim, não costumamos pensar em como funciona todo esse processo. Outra questão a ser ressaltada também é que a maioria das pessoas não gostam de falar sobre esse assunto, pois temem assuntos relacionados à morte. Principalmente se a pessoa falecida é algum familiar ou um amigo próximo. Entretanto, por outro lado, outras pessoas se interessam pelo assunto e não conseguem achar informações completas sobre todo o procedimento de preparação do corpo pós-morte. Portanto, pesando nisso, no texto de hoje, falaremos sobre essa temática e revelaremos todos os processos de preparação de um corpo para o sepultamento. Confira! Por que é preciso preparar um corpo após a morte? A resposta simples para essa questão é devido as questões sanitárias, pois nossa legislação exige que esse trabalho seja feito nas pessoas falecidas. Isso porque, até o corpo ser sepultado, ele precisa passar por uma série de técnicas que são muito importantes e capazes de garantir que não haverá contaminação. Com isso, os familiares podem velar o corpo do ente querido da forma mais tranquila possível. Outra questão importante e que também torna esse procedimento importante é que, nas mortes violentas, são esses procedimentos que realizam os primeiros cuidados com a pessoa falecida para que ela possa ser velada com dignidade. As primeiras técnicas de preparação do corpo pós-morte A preparação de corpos pós-morte já é utilizada há muito tempo. Os egípcios e os gregos utilizam métodos para...
Sacrificar animais: entenda a eutanásia nos bichinhos

Sacrificar animais: entenda a eutanásia nos bichinhos

A eutanásia é um procedimento que visa cessar a vida de um ser, com o fim específico de acabar com sua dor ou sofrimento. Assim como existe a eutanásia aplicada em seres humanos, como explicamos no artigo “Eutanásia: compreenda esse procedimento”, existe também o processo destinado aos animais, o qual abordaremos neste artigo. O que é a eutanásia? A eutanásia consiste em um procedimento especializado, realizado por médicos, para atender a vontade de um indivíduo, ou de seus familiares, em findar a própria vida, uma vez que alguma enfermidade ocasiona dor e sofrimento insuportáveis. Ainda que realizado com o máximo de cuidado, zelo e respeito à vida, é um assunto que gera muitas discussões, uma vez que coloca em pauta a reflexão de princípios éticos e morais, crenças religiosas, leis e normas, além dos próprios sentimentos da família. Tipos de eutanásia Basicamente, a eutanásia é dividida em duas classificações, que consistem a “ativa” e a “passiva”. De forma sucinta, pode-se dizer que a eutanásia ativa é provocada por uma equipe médica, com dia e hora marcados, onde a morte é induzida através de medicamentos. O óbito ocorre sem dor ou sofrimento, e, obviamente, a pedido do paciente. Já na eutanásia passiva, o óbito se procede de forma natural, sem previsão de dia ou horário da morte, uma vez que é consequente da falta de assistência médica. De forma proposital, a pedido do indivíduo enfermo, os cuidados médicos são cessados, e a morte é inevitável. Em seres humanos, tanto a eutanásia ativa quanto a passiva são realizadas, enquanto que nos animais a forma adotada é a ativa. A eutanásia em...
O que significa enterro com caixão lacrado?

O que significa enterro com caixão lacrado?

Muita gente não sabe o que significa enterro com caixão lacrado. Como também, em quais casos isso pode acontecer. Sabemos que lidar com a perda de um ente querido nunca é fácil. Principalmente quando  não podemos ver a pessoa na hora do sepultamento ou da cremação. O que acontece quando o sepultamento ocorre com o caixão lacrado? Vamos falar tudo sobre esse assunto ao decorrer do texto, sendo assim, confira! Quando há a necessidade de se sepultar com caixão lacrado? Isso acontece quando a pessoa morreu de alguma doença contagiosa, como, por exemplo, infectado pelo novo Coronavírus (Covid-19). Nesses casos, o caixão deve permanecer lacrado para que não haja perigo de contaminação das pessoas presentes no funeral. Em alguns casos de mortes acidentais em que a vítima fica muito deteriorada ou desfigurada, é possível que o caixão também permaneça lacrado. Isso pode acarretar vários tipos de sensações incômodas, caso fosse um sepultamento com caixão aberto. Formas de se despedir Sem que haja um velório ou sepultamento tradicional, fica mais difícil de familiares e amigos elaborarem o processo de luto. De certa forma, poder ver a pessoa e se despedir dela traz certo conforto na hora da despedida. A dificuldade para elaborar o luto é oriunda de não poder ver a pessoa antes de ela ser enterrada ou cremada. A elaboração do luto consiste em várias etapas pelas quais as pessoas que perderam alguém passam. Essa elaboração não precisa contar necessariamente com uma ordem fixa das fases. Entre os momentos desse processo estão as fases de aceitação da nova realidade, a experimentação dos sentimentos de perda, como a dor e...
Como lidar com a morte?

Como lidar com a morte?

A morte é um assunto que a maioria das pessoas tende a evitar. Ninguém quer imaginar uma situação de dor, sofrimento e saudade. Mas, a verdade é que esse assunto deveria ser mais abordado entre as famílias, de forma a prepará-las para os momentos de perda. Há algumas pessoas que tem em sua fé e suas crenças o conforto e amparo para os momentos de perda. Mas a grande maioria ainda entra em choque com situações de morte, sejam elas previsíveis ou acidentais. Já abordamos no artigo “Palavras de conforto” algumas dicas para suportar a dor da perda de entes queridos, assim como já conversamos sobre o receio natural que todos temos sobre a morte no post “Medo da morte: como superar”. Mesmo assim, ainda fica a pergunta, realmente sabemos lidar com a morte? Temos como superar o ciclo final da vida? Questionamentos complexos que podem surgir em uma determinada fase da nossa vida, e que iremos discutir a seguir. Mortes previsíveis e imprevisíveis Nenhuma perda é fácil de ser enfrentada. Porém, é certo que algumas delas já são esperadas, enquanto outras, nos pegam totalmente desprevenidos. Quando possuímos algum ente querido adoecido, e já estamos cientes de sua fase final de vida, a tendência é que, à medida que ele não apresenta melhoras, nós já iremos aceitando a morte e suportando a dor da possível perda dele. Nesses casos, lidar com a morte de um familiar ou amigo pode ser um pouco menos árdua, uma vez que não queremos mais o ver sofrer, e já nos conscientizamos de que a morte é inevitável e o descanso é a melhor...
Processo de mumificação: entenda esse procedimento histórico

Processo de mumificação: entenda esse procedimento histórico

A perda de um ente querido sempre foi um processo doloroso, desde a antiguidade até os dias de hoje. É impossível, mesmo com o avanço do tempo e das tecnologias, ser neutro frente à despedida ocasionada pela morte. São diversas e históricas as técnicas empregadas pelos seres humanos, a fim de conservar o estado físico de um ente que partiu. Uma delas consiste o processo de mumificação, que permite a preservação do corpo humano por um extenso período de tempo. Neste artigo, vamos abordar sobre a mumificação, sua historia, como era feita, suas razões e como é nos dias de hoje. Qual a história da mumificação, quais suas razões e como era feita? A técnica da mumificação é bastante conhecida pelo seu emprego pelos egípcios. No Egito, havia a forte crença da vida após a morte, e, portanto, os corpos deviam ser conservados pelo maior período de tempo possível, de forma que as almas pudessem retornar, mais cedo ou mais tarde, a eles. O processo de mumificação iniciava com a retirada de todos os órgãos da pessoa falecida, com exceção do coração, porque ali, segundo os egípcios, ficavam abrigados os sentimentos. Após isso, eram aplicados no corpo do cadáver, por cima e por dentro, sais natrão, de forma a enxugar toda água existente, durante 40 (quarenta) a 72 (setenta e dois) dias. Esse era o período médio da desidratação do cadáver. Após esse período, o corpo era lavado com bálsamos e óleos essenciais, e enfaixado com panos de linho. Assim, a mumificação estava concluída. Para os egípcios, a alma só retornaria ao corpo do cadáver com algumas condições. Havia...
O poder das orações para pessoas falecidas

O poder das orações para pessoas falecidas

De acordo com a religião católica, quando uma pessoa morre, é importante que família faça orações para aquele que partiu ou mande rezar uma missa para sua alma. Porque, de acordo com as crenças, isso pode ajudar no seu processo de purificação da alma da pessoa falecida. Sendo assim, as orações para pessoas falecidas têm grande importância para aqueles que se foram, pois ajudam-nos nos processos de compreensão do novo estado do pós-vida. O poder das orações também pode corroborar para limpeza dos pecados daquele que se foi. Com as orações, o falecido pode se encontrar em um processo de purificação, se preparando-se para encontrar o divino no seu caminho de evolução como espírito.  Por que fazer orações para pessoas falecidas?  Em todas as missas é renovado o Dom de Cristo, que morreu por nós e ressuscitou ao terceiro dia para nos salvar. Portanto, oferecer uma missa para pessoas falecidas é um ato de celebração de fé da pessoa que se foi e também daqueles que estão vivos.  Assim, a oração pelo falecido torna-se um ato de fé de ambos os lados, tanto dos vivos quanto de quem morreu. O amor de Deus coexiste junto aos pecados dos humanos, pois, em todos nós existem traços de egoísmo, vaidade, negligência etc. Portanto, quando morremos, resquícios desses pecados permanecem na alma e precisam ser curados. Uma forma de ajudar na elevação e no livramento desses estigmas é fazendo orações. Entenda o significado do Dia dos Finados O Dia dos Mortos, O Dia dos Finados ou O Dia dos Fieis Defuntos, são algumas das formas que os cristãos se referem a essa...